saúde integral do homem

Homem também se cuida: prevenindo a saúde integral do homem

1 de novembro de 2019 Por Casa Crescer

No Brasil, estima-se que a população masculina viva cerca de 7 anos a menos do que as mulheres.

Isso se deve, principalmente, a tabus e a uma cultura de relapso no cuidado com a própria saúde.

Todos os anos, a campanha Novembro Azul chega para colocar em pauta o importante tópico da saúde integral do homem, que vai muito além da saúde física e prevenção contra doenças.

Vamos entender?

Saúde integral. O que significa?

O conceito de saúde integral busca contemplar todas as áreas que influenciam o bem estar dos seres humanos.

Isso quer dizer que, além do estado físico, são levados em conta também o emocional e psicológico desses pacientes.

Para a saúde integral, corpo e mente são um só: e precisam estar em equilíbrio para que exista qualidade de vida e prevenção de verdade.

No caso dos esforços para promover a saúde integral do homem, novos obstáculos são criados.

A própria cultura, passada de pai para filho por muitas e muitas gerações tornou o homem menos receptivo para falar de suas dificuldades – tanto físicas quanto emocionais.

Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem

A ação, realizada pelo governo nacional, possui como diretriz a promoção de ações de conscientização e prevenção em torno de 5 eixos principais.

Esses eixos nos lembram de que a saúde é um espectro amplo e que todas as suas facetas merecem atenção.

São eles:

  • Prevenção de violências e acidentes – os homens são a faixa populacional mais afetada por violência (especialmente a urbana) e acidentes (domésticos, no trânsito e no trabalho).
  • Doenças prevalentes masculinas – nós falamos sobre elas neste post. Clique para ler!
  • Saúde sexual e reprodutiva – busca reconhecer os homens como sujeitos do direito sexual e reprodutivo tanto quanto as mulheres.
  • Paternidade e cuidado – lembra dos benefícios e importância da paternidade ativa: o envolvimento do pai em todas as fases da gestação e criação dos filhos.
  • Acesso e Acolhimento – busca reorganizar as ações de saúde afim de que os homens reconheçam nos espaços dedicados ao cuidado integral um espaço que também é deles por direito.

Um longo (mas recompensador) caminho

Prevenir a saúde integral do homem requer grandes mudanças estruturais – tanto em nosso modelo atual de saúde quanto no consciente coletivo da ala masculina.

De fato, existem carências a serem corrigidas para que os homens se sintam mais à vontade e incluídos em políticas e ações de prevenção e combate à doenças físicas, emocionais e psíquicas.

Os tabus ainda existem mas nós, da Casa Crescer, seguimos em nossa missão de espalhar conhecimento e de alertar a todos sobre a importância de um olhar mais abrangente. 

Fica a reflexão!

Até a próxima,

saúde integral do homem