Estudo aponta relação entre parto prematuro e Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade

28 de junho de 2018 Por Casa Crescer

Um estudo publicado ontem na revista científica “JAMA Pediatrics”, mostra que crianças que nasceram de parto prematuro apresentam mais sintomas de Transtorno Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) que os nascidos no tempo considerado adequado. Os autores ressaltam, contudo, que trata-se de uma relação e que, nesse momento, não é possível dizer que a idade gestacional cause o transtorno.

“As crianças prematuras têm maior risco de complicações pós-natais e são frequentemente expostas a fatores que podem promover a morte de células neuronais no cérebro”, escreveram os autores na pesquisa.

A prematuridade é considerada hoje um fator de risco para o desenvolvimento de TDAH, especialmente em crianças que nascem antes das 36 semanas, porque o prematuro, como o próprio nome diz, nasce antes de completar vários aspectos do seu desenvolvimento inclusive, o cerebral. Pode não ocorrer uma lesão, mas acontecer uma modificação na conectividade entre áreas cerebrais ou até uma desconexão — explica Clay Brites, pediatra e neurologista infantil do Instituto NeuroSaber.

Prematuros devem ser acompanhados

A partir da diferenciação de sintomas, os pesquisadores observaram que os sinais de TDAH eram mais comuns em crianças que estavam na pré-escola (por volta dos 5 anos) enquanto que os de desatenção eram mais observados naqueles que estavam em idade escolar (7 anos). Para o estudo, realizado na Noruega, foram selecionadas 113.227 crianças.

— O acompanhamento do prematuro por médicos e uma equipe multidisciplinar deve ocorrer desde o nascimento, permitindo o diagnóstico e a intervenção precoces para que se possa aproveitar a neuroplasticidade (capacidade do cérebro fazer novas conexões), minimizando os problemas inerentes à prematuridade — diz Renata Scatena, Pediatra responsável pela equipe médica da Casa Crescer.

Atitudes para diminuir o risco de parto prematuro

Diagnosticar doenças

Antes de engravidar, é importante fazer uma avaliação de saúde para detectar possíveis doenças crônicas como diabetes e pressão alta que são fatores de risco para a prematuridade

Planejamento

Se for possível, planeje a gravidez. O ideal é que a mulher engravide depois dos 17 anos e antes dos 35

Pré-natal

Comece o pré-natal assim que descobrir a gravidez. Faça pelo menos oito consultas médicas durante a gestação.

Bons hábitos

Consuma alimentos saudáveis e mantenha uma dieta balanceada, fique longe do cigarro e das bebidas alcoólicas, e faça exercícios físicos sob orientação médica.

 

Veja a matéria completa no site do Jornal Extra.