Mito ou verdade: descongestionantes nasais viciam?

As especialistas Maura Neves e Renata Scatena explicam a situação

A baixa umidade do ar e os problemas respiratórios típicos das épocas mais frias trazem o incômodo nariz entupido. Por isso, muitas pessoas não pensam duas vezes antes de fazer uso de descongestionantes nasais. Os medicamentos vendidos sem prescrição médica,  porém, podem causar problemas à saúde quando usados indiscriminadamente.

A Dra. Maura Neves, otorrinolaringologista do Hospital Universitário da USP e da Clinica MedPrimus em São Paulo, afirma que o uso constante de descongestionantes nasais realmente “vicia” os usuários, pois causa a chamada “rinite robote ou medicamentosa” – uma congestão nasal causada pelo uso excessivo destes medicamentos.

Os produtos agem contraindo os vasos sanguíneos, o que provoca a produção de mais vasos. “Isso causa a necessidade de exposição recorrente à medicação” complementa a Dra. Renata Scatena, especialista em Terapia Intensiva Pediátrica pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e diretora clínica da Casa Crescer, um espaço focado na saúde das crianças.

Há outras opções?

De acordo com as especialistas, uma solução para este problema é a lavagem nasal com soro fisiológico, removendo assim as secreções. A recomendação é procurar um medico otorrinolaringologista que possa avaliar a causa do problema e tratá-la da forma adequada.

*O conteúdo deste post não substitui uma consulta médica. Procure sempre seu médico.

Veja a matéria publicada no site da Veja São Paulo.