Como turbinar a inteligência do seu bebê

16 de julho de 2020 Por Casa Crescer

Quando falamos em inteligência, temos o costume de pensar na crença antiga de que isso significa acumular conhecimento. Ou seja, quanto mais se sabe mais sucesso terá na vida. Mas hoje sabemos que isso é uma afirmação errada, a inteligência está muito mais ligada à como iremos buscar informações e o que faremos com elas! Mas então, como fazemos para turbinar a inteligência do bebê?

Estimular o cérebro do bebê pode ser muito benéfico para sua infância e toda sua vida. Por isso, neste post falaremos sobre o que costumamos fazer para estimular os bebês em casa e o que podemos fazer de diferente para de fato tornar a o cérebro mais capacitado para dar apoio ao que vem pela frente na sua vida.

A inteligência

Existem dois maiores tipos de inteligência: A cognitiva, que é aquela que mensuramos a partir de provas escolares por exemplo. E a não cognitiva, que é emocional, se temos amor próprio, se nos sentimos amados, se somos pró-ativos, etc.

A inteligência do bebê vai ser tratada de forma a melhorar o crescimento pessoal dele, para que obtenha sucesso em todos os aspectos de sua vida.

Hoje, a neurociência explica os impactos de ações que acontecem desde quando o bebê está na barriga da mãe. Ela nos mostra tudo que podemos fazer desde a gestação, que pode impactar se aquele bebê vai se desenvolver pró ativo, se vai ter baixa auto estima ou não, se vai ser preguiçoso ou não por exemplo.

Mas como faço para desenvolver habilidades que eu quero que meu filho tenha?

A primeira dica valiosa para pais e mães: Foquem em serem pais e mães bem sucedidos ao invés de focar em filhos bem sucedidos. E lembre-se que ser bem sucedido não significa ter o melhor emprego ou salário, e sim ser bem resolvido em diversos âmbitos da sua vida.

Quando você quer sucesso para seus filhos mas não sabe como ser bem sucedido, você acaba delegando estas tarefas, seja para professores ou babás, e isso gera um afastamento entre você e o pequeno. Porém quando focamos em ser pais bem sucedidos, iremos pesquisar as melhores formas de por exemplo estimular a criança, uma maternidade de sucesso gera filhos de sucesso, isso é uma consequência natural.

Ao pesquisar e colocar em pática, você percebe a evolução do seu filho, e ao tirar uns minutinhos do seu dia para isso fará você perceber o quão mais produtivo esse dia foi.

CLIQUE E VEJA: Homeschooling em tempos de pandemia

Como funciona o cérebro e o processo de aprendizagem?

Desde o ventre, nosso cérebro possui neurônios que recebem estímulos externos, da genética, de ruídos, cheiros, etc. Essas células (neurônios) precisam decifrar estes estímulos, por isso elas se conectam, se alongam e criam canais. Conforme o bebê vai recebendo estímulos na vida, o cérebro vai associando cada um deles.

Nosso objetivo é tornar esses caminhos que o cérebro constrói o mais complexo e eficiente possível, impactando na inteligência do bebê. Mas como fazer isso? Não devemos causar um bombardeio de estímulo, temos que dar o máximo de estímulo para uma referência só de cada vez. Por exemplo, ao ouvir a palavra “mamãe”, o bebê ele irá associar vários estímulos relacionados à mamãe, como o seu rosto, cheiro e toque.

Como estimular a inteligência do bebê?

Podemos estimular os bebês de diferentes formas, uma delas é a partir de atividades como a que vamos apresentar a seguir. No link abaixo você poderá acessar o material utilizado nesta atividade. São cartões que possuem bolinhas de um à cinco. Você pode imprimir e plastificar estes cartões. Este material serve como ferramenta para durante o dia ofertar estímulos, o que tornará a arquitetura dos neurônios e consequentemente, a inteligência do bebê, mais completa. 

Arquivo para baixar – Estímulo visual em bebês

Meu bebê  precisa saber os números para utilizar este material? Não! É que materiais como estes, que possuem números, cores e bichos por exemplo, fazem parte do mundo da criança. Por isso utilizamos destes recursos, mas não é necessário que eles saibam os números, por isso pode ser utilizado em qualquer idade.

Para os bebês de até 3 meses, este material servirá mais como um estímulo visual, por causa do contraste nas imagens. Para estes pequenos, você vai mostrar o cartão e devagarinho e com intonação cantante falar o número correspondente, pode deixar ele visualizar por um tempo e passar para o próximo. E assim que você mostrou o cartão e ele viu a imagem você fala o número, combinado? Para bebês acima de 3 meses a transição entre os cartões pode ser um pouco mais rápida.

Outros estímulos para turbinar a inteligência do bebê

Esta atividade vai ajudar para que, a partir das repetições, o bebê já saiba qual o som do próximo número que está por vir, assim como acontece conosco com as músicas que já decoramos. Você não estará ensinando um número, e sim um som em sequência. Assim que os cartões acabarem, pode guardar e mostrar outra hora ou outro dia.

Em outro momento do dia, é legal explorar outros sentidos com a mesma brincadeira. Por exemplo o tato, você pode contar até cinco na mesma intonação e apertar o pezinho do bebê no número correspondente por exemplo, seguindo a sequência.

Outro dia você pode explorar a audição, contanto na mesma intonação e fazendo algum barulho correspondente ao número, por exemplo batendo palmas. E a cada sequência é importante dar uma pausa com um tempinho de silêncio para que ele possa associar os sons.

Dessa forma o bebê viu, sentiu e ouviu o que é um, dois, três, quatro e cinco. E estamos conectando vários sentidos à uma referência. O mesmo acontece mais tarde na introdução alimentar, onde eles vão, por exemplo, ouvir os pais falando banana, ver a banana, sentir o tato, cheiro e gosto da banana.

Veja também: Menos telas, mais saúde: Orientações para crianças e adolescentes na era digital 

 

Ao introduzir estas brincadeiras, você vai começar a assimilar como estes estímulos funcionam e vai acabar fazendo parte da sua rotina, cada vez descobrindo novas formas de introduzir isto no seu dia a dia. Estes estímulos preparam as áreas do cérebro para futuras inteligências, cognitivas e não cognitivas.

Este material tão simples pode ter uma profundidade e complexidade enorme se bem utilizado. Sendo um estímulo simples porém super elaborado.

Quer aprender mais sobre o desenvolvimento do seu pequeno? Entre em contato com a Casa Crescer! Ficaremos muito felizes em fazer parte deste momento tão especial

síndrome de burnout como identificar os sintomas