Amamentação

Amamentar é muito mais do que nutrir uma criança. É um processo que envolve interação profunda entre mãe e filho com repercussões no estado nutricional da criança, em sua habilidade de se defender de infecções, em sua fisiologia e no desenvolvimento cognitivo e emocional, além de ter implicações na saúde física e psíquica da mãe.

O leite materno é fundamental para a saúde das crianças nos seis primeiros meses de vida, por ser um alimento completo. Além dos macro e micronutrientes importantíssimos nessa fase de grande crescimento e desenvolvimento, possui inúmeros fatores imunológicos que conferem proteção ativa e passiva para as crianças amamentadas. É isento de contaminação e perfeitamente adaptado ao metabolismo da criança.

O Colostro (“leite dos primeiros dias” pós-parto) contém muita proteína ,sendo parte destas anticorpos (Imunoglobulinas) que protegem o bebê. Por este motivo, o colostro também é chamado de 1ª vacina. Já foi demonstrado que cada mãe produz um leite especial de acordo com as necessidades de seu bebê.

Já está provado cientificamente que a criança amamentada adoece menos, está mais protegida contra eventos diarreicos, infecções respiratórias, alergias, entre outros. De modo geral, observa-se redução da mortalidade infantil ( nas crianças que recebem leite materno). A longo prazo, a prevalência de certas patologias como a aterosclerose, obesidade , hipertensão arterial e diabetes é menor nas crianças amamentadas. O ato de amamentar é uma oportunidade ímpar de intimidade, de troca de afeto gerando sentimento de segurança e proteção na criança e de autoconfiança e realização na mulher.

Os primeiros dias após o parto são muito importantes para o estabelecimento e a manutenção da lactação, portanto , a conversa com o pediatra no último trimestre da gestação (consulta Pré- Natal Pediátrica) permite diminuir a ansiedade própria do período, visando o êxito do aleitamento materno e consequentemente os seus benefícios. Nesse momento as dúvidas deverão ser esclarecidas e cabe ao pediatra orientar , tranquilizar e apoiar a família, propiciando um ambiente aconchegante e acolhedor ao recém nascido.

Apesar da amamentação ser um ato instintivo e a sucção um ato reflexo, o bebê precisa aprender a retirar o leite do peito de forma correta. A técnica de amamentação, em especial o posicionamento da dupla, e a pega é importante para a retirada efetiva do leite pela criança e proteção dos mamilos. A amamentação deve ser indolor. Cabe ao pediatra avaliar essa técnica, intervir o mais rápido possível quando necessário, possibilitando continuidade do processo e minimizando os traumas.

Organização Mundial de Saúde, o Ministério da Saúde do Brasil e a Sociedade Brasileira de Pediatria recomendam o aleitamento materno exclusivo nos primeiros seis meses de vida( sem necessidade de outros alimentos como água, chás, sucos ou fórmulas infantis) e complementada até os 2 anos ou mais.

Por Dra Renata Scatena