No alvo do HPV: os grandes riscos para a mulher

Compartilhe:

Share on facebook
Share on telegram
Share on twitter
Share on whatsapp

A maioria de nós será infectada com o HPV (sigla em inglês para Papilomavírus Humano) em algum momento de nossas vidas. Existem mais de 100 tipos diferentes de vírus, muitos dos quais não causam sintomas e desaparecem por si próprios sem tratamento. Outros tipos causam crescimentos inofensivos, como verrugas.

 

Mas o vírus também tem um lado mais sinistro. Causa quase todos os casos de câncer cervical, e as infecções por HPV também aumentam o risco de desenvolver câncer nos órgãos genitais, ânus, boca e garganta. Juntos, esses casos somam os principais novos casos de câncer no Brasil.

 

No entanto, há uma questão importante: se a maioria das pessoas se infecta com o HPV em algum momento, por que apenas algumas delas desenvolvem câncer?

 

E como exatamente uma infecção viral pode causar a doença? As respostas você encontra a seguir!

 

Chances de infecção

As chances são muito altas de que você – ou alguém que você conhece – esteja infectado com o HPV. É a infecção sexualmente transmissível mais comum e, em alguns casos, ela pode ser mortal.

 

Em vez de um vírus específico, o HPV é, na verdade, um grupo de mais de 200 vírus relacionados. Mais de 40 deles podem ser transmitidos através do contato sexual direto, seja por sexo vaginal, anal ou oral. Esses tipos de HPV estão ligados ao câncer cervical e verrugas genitais.

 

Antes de entrar em pânico, lembre-se de que o HPV é tão comum que 80% das pessoas terão uma infecção por HPV durante a vida. Em cerca de 90% das vezes, o HPV desaparece sozinho em dois anos. 

 

Mas, em alguns casos, pode demorar, causando sérios problemas de saúde, incluindo:

 

LEIA TAMBÉM: Os maiores benefícios do parto normal para o bebê

 

Câncer cervical

Praticamente todos os casos desta doença são causados ​​pelo vírus HPV. De acordo com o CDC (Centros para Controle e Prevenção de Doenças) dos Estados Unidos, cerca de 12.000 mulheres são diagnosticadas com câncer cervical a cada ano e 4.000 morrem por causa disso.

 

Câncer de garganta

Cerca de 10.100 homens são diagnosticados com câncer orofaríngeo (garganta) relacionado ao HPV a cada ano somente nos Estados Unidos.

 

Outros cânceres

Os 8.000 cânceres restantes incluem câncer vaginal e vulvar em mulheres, câncer de pênis em homens e câncer anal em homens e mulheres.

 

Quais os sinais do HPV?

Se você tiver o tipo de HPV que causa verrugas genitais, poderá notar pequenas saliências semelhantes a couve-flor na vulva, se for mulher, ou no pênis ou escroto, se for homem. As verrugas também podem surgir perto de suas nádegas ou na garganta, se você fez sexo oral. Eles geralmente não doem, mas podem coçar.

 

Seu médico pode prescrever medicamentos para estimular o sistema imunológico e ajudar o corpo a combater infecções, bem como tratamentos tópicos para prevenir o crescimento de células de verrugas.

 

Se você tem o tipo de HPV que pode causar câncer, não há nenhum sintoma até que você comece a desenvolver uma doença como câncer de garganta ou de colo do útero. É por isso que é tão importante tomar medidas para se proteger e evitar o HPV em primeiro lugar.

 

Prevenção e vacina

Uma das formas de se evitar o HPV é a vacinação, que é feita em pré-adolescentes por volta dos 11 ou 12 anos. Ela consiste em duas injeções, com intervalo de seis a doze meses.

 

A vacina do HPV protege contra nove cepas do vírus, incluindo sete dos tipos mais comuns de câncer, bem como os dois responsáveis ​​por verrugas genitais. 

 

Todas as mulheres com idades entre 21 e 65 anos também devem ser rastreadas para câncer cervical. Mulheres na casa dos 20 anos devem fazer um teste de Papanicolau a cada três anos.

 

Mulheres com mais de 30 anos devem fazer o teste de papanicolau a cada três anos e é recomendado o teste de HPV a cada cinco anos. 

 

Mas embora os médicos possam rastrear o câncer cervical, lembre-se de que não há testes de rastreamento para os outros 20.000 casos de câncer causados ​​por infecções por HPV a cada ano. É por isso que é tão importante tomar a vacina, se possível.

 

Como você viu, o HPV é um risco iminente, e apenas com cuidados diários e a vacina é possível se proteger. Estar atento aos sinais de contaminação é também importante, para evitar maiores complicações.

 

Se gostou de nosso artigo sobre HPV, recomendamos também a leitura desse material sobre os sinais do câncer de mama. Conhecê-los é uma forma muito eficiente do diagnóstico precoce e de uma recuperação mais rápida! Boa leitura!

 

Cuidados

Mesmo com a chegada da vacina da COVID, todos os esforços continuam necessários para que possamos cuidar de nós mesmos e cuidar dos outros.

Por isso, a gente, aqui da Casa Crescer, não pisca na hora de seguir cada protocolo de prevenção.

Não deixe de cuidar da sua saúde e da sua família. Venha em segurança e encontre um ambiente seguro.

Baixe seus ebooks

Baixe seu health planner

E planeje sua saúde mês a mês: mais organização, menos gastos, muito mais qualidade de vida.

Posts recentes

Quer saber primeiro?

Assine a nossa newsletter quinzenal e receba dicas sob medida

Outros também leram:

Ainda não conhece a Casa Crescer?

Entre em contato conosco agora.

adultos-perfil