Novo teste do pezinho: para quem?

Compartilhe:

Share on facebook
Share on telegram
Share on twitter
Share on whatsapp

O teste do pezinho está ainda mais completo. Claro que vocês já conhecem o teste, que também é chamado de Triagem Neonatal.  E que detecta, assim que o bebê nasce, a tendência de ter doenças como Anemia, Fibrose Cística, entre outras. Então, ele ganhou mais uma versão.

Antes de mais nada, importante lembrar que o resultado positivo não quer dizer que a criança tenha a doença. Esse é um primeiro rastreamento que requere a confirmação, através de outros exames.  Afinal, por que fazer? Porque essa detecção precoce é capaz de salvar vidas. 

TIPOS DE TESTE: o que muda?

Existem vários testes do pezinho. E a grande diferença entre eles é na quantidade de doenças pesquisadas: no total são mais de 30. Nesse sentido, uma boa forma de escolher é passar pelo futuro pediatra do bebê, antes do nascimento. Dessa forma, durante a consulta, esse especialista pode investigar qual tipo é mais indicado, de acordo com, antecedentes familiares do pai e da mãe, por exemplo. 

Não quero ler esse texto, prefiro assistir um video semelhante sobre esse assunto. Clique aqui.

NOVO TESTE

Agora é possível fazer a pesquisa para outras duas imunodeficiências: SCID e AGAMA, duas anomalias que podem levar à morte do bebê no primeiro ano de vida. 

SCID, sigla em inglês, quer dizer: Imunodeficiência Combinada Grave. É a forma mais grave de defeito do sistema imune, em que: tanto a parte celular dos linfócitos, quanto dos anticorpos (humoral) estão comprometidos. Não funcionam de forma suficiente para proteger realmente o organismo.

AGAMA é a forma simples de nos referirmos a Agamaglobulinemia. Neste tipo,  tem comprometimento somente de anticorpos. Em comum, nessas 2 doenças, os sintomas e as primeiras infecções, surgem por volta do 3º mês de vida. Essa é a época que a quando a quantidade de anticorpos maternos acumulados, durante a gestação, começa a cair.

O diagnóstico de SCID E AGAMA  é uma emergência. Isso porque até mesmo as vacinas de rotina podem fazer com que o bebê adoeça, particularmente a BCG habitualmente aplicada logo após o nascimento.  A incidência desses defeitos graves é estimada em 1 a cada 10.000 a 50.000 nascidos vivos. 

QUE OUTRAS DOENÇAS O TESTE DO PEZINHO DETECTA?

Como comentamos acima, são mais de 30 doenças, entre as doenças: 

  • fenilcetonúria (PKU),
  • hipotireoidismo congênito (HC),
  • anemia falciforme
  • a fibrose cística.
  • hiperplasia adrenal congênita,
  • toxoplasmose
  • sífilis
  • rubéola congênita,
  • galactosemia,
  • citomegalovirose, etc.

QUANTO CUSTA 

Esse novo teste tem custo relativamente baixo. É simples de fazer. A coleta é semelhante, senão igual a da coleta do pezinho tradicional.

COMO É O TESTE

 A coleta do teste do pezinho é feita preferencialmente, entre 3 e até sete dias do nascimento. Nunca antes de 48 horas. Essa é a recomendação dos órgãos competentes. A coleta, entre 7 e 30 dias, é tardia. No entanto, pode ser feita. Afinal, algumas das doenças que são detectadas pelo exame aparecem, com certa frequência, antes desse prazo. 

O teste é feito com uma punção bem simples do sangue, em uma das laterais da região plantar do calcanhar. Em seguida, é feita a análise laboratorial. 

Quer mais informações?

Vamos conversar! 

Dra Márcia Iwashita

Quer assistir mais em vídeo? Clique aqui.

Veja todos os posts

Cuidados

Mesmo com a chegada da vacina da COVID, todos os esforços continuam necessários para que possamos cuidar de nós mesmos e cuidar dos outros.

Por isso, a gente, aqui da Casa Crescer, não pisca na hora de seguir cada protocolo de prevenção.

Não deixe de cuidar da sua saúde e da sua família. Venha em segurança e encontre um ambiente seguro.

Baixe seus ebooks

Baixe seu health planner

E planeje sua saúde mês a mês: mais organização, menos gastos, muito mais qualidade de vida.

Posts recentes

Quer saber primeiro?

Assine a nossa newsletter quinzenal e receba dicas sob medida

Outros também leram:

Ainda não conhece a Casa Crescer?

Entre em contato conosco agora.

adultos-perfil