Tosse e outros problemas de inverno: como melhorar a imunidade?

Compartilhe:

Share on facebook
Share on telegram
Share on twitter
Share on whatsapp

O inverno chega e a gente já sabe: a tosse e outros problemas vêm. Mas, espera aí: será que precisam vir mesmo? Ou é possível passar pela estação sem tanto mal estar e falta de energia? Spoiler: quando a gente toma conta direitinho da nossa imunidade, dá até para aproveitar o inverno. Acredita? Vem comigo para termos uma conversa sobre o assunto.

Por que a imunidade parece diminuir no inverno?

Já chegou a pensar que, no inverno, a nossa imunidade baixa? Muita gente acredita nisso, mas temos aqui uma falácia. Afinal, o frio em si nem sequer é o responsável pelos problemas da estação.

Na verdade, o que favorece a disseminação de vírus e bactérias é a nossa tendência em se abrigar em locais fechados, com pouca circulação do ar. Como se isso não bastasse, também tendemos a tomar menos sol e nos exercitar menos. Assim, ser contaminado por alguma doença fica muito mais fácil.

Agora, sobre a imunidade, fato é que o inverno em si não a afeta. O que acontece é que, se durante todo o ano (toda a vida!) não cuidarmos do nosso sistema autoimune, é previsível que, no inverno, os problemas nos acometam com maior frequência, dada as condições que acabei de explicar.

Como melhorar a imunidade no inverno?

Primeiramente, me é primordial lembrar que a imunidade deve receber atenção sempre. Aqui, uso o exemplo dos bebês: pais e mães normalmente sentem bastante preocupação com as crianças durante os períodos de frio intenso.

Faz sentido, é claro. A imunidade dos bebês, afinal, está em desenvolvimento. Contudo, esse sistema começa a se formar ainda no corpo da mãe. Logo, mais do que proteger os bebês e empreender hábitos saudáveis durante o inverno, é primordial que esse cuidado todo seja estrutural e parte da rotina da família toda.

Para te ajudar a começar a já a melhorar sua imunidade e viver uma vida bem vivida, eu trouxe aqui algumas dicas bem úteis:

Beba bastante água

Esse conselho pode parecer batido, mas é fundamental. A água regula a temperatura do nosso corpo e ajuda a eliminar toxinas. Logo, o consumo apropriado deixa nosso corpo mais saudável e menos propenso a adoecer. 

A quantidade ideal diária depende do peso de cada um. Em geral, adultos devem beber aproximadamente 2 L (o cálculo, em suma, considera cerca de 35 ml a cada kg, no mínimo). Nos primeiros meses de vida de um bebê, 800 ml a 1L pode ser o ideal. Para saber exatamente qual quantidade é a melhor indicada, considere a ideia de procurar um pediatra para avaliar a criança e fazer indicações personalizadas. Ademais, a cor da urina também é um indicativo da quantidade de água em nosso corpo: quando clara, estamos hidratadas. Se estiver amarelada, porém, é sinal de que devemos beber mais líquido.

Faça inalação

Pode ser com soro fisiológico mesmo! A maioria dos problemas de inverno – tosse, gripes e resfriados – começa como? Com o acúmulo de secreção nasal e do ressecamento da mucosa (que, para exercer sua função em nosso corpo, deve estar úmida e hidratada). Esse excesso, por sua vez, tem tudo para facilitar o desenvolvimento de vírus e bactérias – e, depois disso, você já sabe: os problemas começam.

A inalação ajuda você (e também suas crianças) a liberar esse muco de forma mais fluida e natural. Livre de secreção, a tosse alivia e as doenças de inverno se tornam muito menos frequentes.

Consuma muita vitamina C e D

As vitaminas C e D dão aquela energizada no sistema imunológico, sabia? No caso da C, como muitos já sabem, encontra-se em frutas cítricas, como limão, acerola, laranja, abacaxi e ameixa. Porém, não para por aí: couve, coentro, agrião, espinafre e castanhas também são excelentes opções.

No que diz respeito à vitamina D, é sabido que nós a conseguimos principalmente por meio do sol. No inverno, porém, esse recurso natural fica mais escasso, e precisamos repor os níveis da vitamina de outra forma. Peixes, cogumelos e queijos, por exemplo, têm muita vitamina D disponível. 

Para manter as vitaminas em dia, vale a pena considerar uma coleta através de exames, a fim de descobrir quais precisam ser suplementadas. Zinco, magnésio, ferro e vitaminas do complexo B também são fundamentais para um sistema imune forte.

Aqui vai uma dica: para estimular as crianças a consumirem esses alimentos, convide-as para participar do processo de prepará-los – de uma forma divertida para elas, é claro. Fale sobre as texturas, os sabores, converse com elas: crianças não nascem desgostando de frutas e vegetais, elas só precisam de bom exemplo e oportunidade para experimentá-los. Além disso, quando a introdução alimentar é feita de forma adequada, as crianças se desenvolvem melhor.

Cultive bons hábitos

Quando eu escrevo por aqui que os bons hábitos são fundamentais, é porque há ciência por trás disso. Dormir bem, praticar atividades físicas e encontrar prazer e sentido para a vida longe das telas não são conselhos infundados. 

Na verdade, tudo isso é capaz de, entre outras boas consequências, melhorar a sua imunidade e a da sua família. E não pense que isso vale só no inverno: se vivermos uma vida bem vivida o ano todo, a estação não importa – estaremos sempre saudáveis.

Como ter uma boa imunidade sempre?

Já reparou como eu sempre falo que uma vida bem vivida requer esforço constante? Com a imunidade, a lógica é a mesma. Você pode dar pequenos passos no começo, tudo bem. Contudo, é extremamente importante que sua saúde sempre receba atenção e que as vacinas estejam em dia, suas e de toda a família.

Dessa forma, o inverno deixa de ser uma ameaça, ou uma estação pontuada por doenças, tosses e mal estar.  Se você quiser começar a empreender uma mudança agora mesmo, a Casa Crescer, como sempre, está de portas abertas para você. Além de poder agendar uma consulta na Casa com algum de nossos especialistas, nosso blog sobre saúde está cheio de conteúdos que vão te ajudar nessa jornada. Se preferir, o WhatsApp da Casa Crescer está disponível também!

Cuidados

Mesmo com a chegada da vacina da COVID, todos os esforços continuam necessários para que possamos cuidar de nós mesmos e cuidar dos outros.

Por isso, a gente, aqui da Casa Crescer, não pisca na hora de seguir cada protocolo de prevenção.

Não deixe de cuidar da sua saúde e da sua família. Venha em segurança e encontre um ambiente seguro.

Baixe seus ebooks

Posts recentes

Quer saber primeiro?

Assine a nossa newsletter quinzenal e receba dicas sob medida

Outros também leram:

bebe fofo
Todos

O bebê chegou, e agora? – Um guia sobre a vida pós-parto

Se a gestação é como uma viagem, o pós-parto é uma espécie de destino. Ou uma conexão mais longa, que levará mãe, pai e cuidadores para um novo lugar: a vida familiar. Esta jornada – a maternidade e a paternidade – é uma aventura e tanto, eu sei. Para te guiar ao longo dela, trouxe, neste artigo, algumas dicas para te ajudar neste caminho.

Adultos

Depressão pós-parto paterna: isso existe?

Apesar de a depressão pós-parto materna ainda não ser tão popularmente compreendida quanto deveria, é fato que a depressão pós-parto paterna é uma incógnita ainda maior. Muitas pessoas, inclusive, nem sequer sabem que ela existe.

Ainda não conhece a Casa Crescer?

Entre em contato conosco agora.

adultos-perfil